quarta-feira, fevereiro 13

A descoberta do mundo

Veja você mesmo com seus próprios olhos. São águas claras que desce do trono de Deus. É avivamento pra você e eu. Mergulhe agora vai a fundo. Mais profundo no rio que nasce no coração de Deus. Pra curar santificar, libertar. E a tua vida hoje transformar...

“[…] Quando criança, e depois adolescente, fui precoce em muitas coisas. Em sentir um ambiente, por exemplo, em apreender a atmosfera íntima de uma pessoa. Por outro lado, longe de precoce, estava em incrível atraso em relação a outras coisas importantes. Continuo, aliás, atrasada em muitos terrenos. Nada posso fazer: parece que há em mim um lado infantil que não cresce jamais.

Até mais que treze anos, por exemplo, eu estava em atraso quanto ao que os americanos chamam de fatos da vida. Essa expressão se refere à relação profunda de amor entre um homem e uma mulher, da qual nascem os filhos. […] Depois, com o decorrer de mais tempo, em vez de me sentir escandalizada pelo modo como uma mulher e um homem se unem, passei a achar esse modo de uma grande perfeição. E também de grande delicadeza. Já então eu me transformara numa mocinha alta, pensativa, [pouco]rebelde, tudo misturado a bastante selvageria e muita timidez. 

Antes de me reconciliar com o processo da vida, no entanto, sofri muito, o que poderia ter sido evitado se um adulto responsável se tivesse encarregado de me contar como era o amor. […] Porque o mais surpreendente é que, mesmo depois de saber de tudo, o mistério continuou intacto. Embora eu saiba que de uma planta brota uma flor, continuo surpreendida com os caminhos secretos da natureza. E se continuo até hoje com pudor não é porque ache vergonhoso, é por pudor apenas feminino.

Pois juro que a vida é bonita.”

domingo, fevereiro 10

Para Quando Me Deixo Ler : Deus Ainda Fala

Será que devemos priorizar PLANO A, ou B, ou até mesmo C?

Trago à tona, alguns bons exemplos de grandes homens como Jonas, Pedro, Abraão e Paulo, citados no vídeo abaixo, também referenciados no Livro Sagrado e nas Santas Escrituras, que havemos, será bom os considerar para nos levar a perceber melhor o que na realidade temos de priorizar quando decidimos viver plano A ou plano B, ou até mesmo um plano C.

O que distingue o homem de Deus de outro homem, são as suas escolhas e as suas atitudes. Não importa o que façamos e o que enfrentamos, não importa aonde estejamos, são nossas escolhas e atitudes que nos movem, faz um homem acertar e uma que fez o outro errar. Mas, haja o que houver, NADA PODERÁ DETER O PLANO DE DEUS NA SUA VIDA.

A teimosia e a obediência: No Livro de Jonas (1:13), vem à tona a inicial teimosia de Jonas quando se recusou a obedecer o chamado e a convocação de Deus. Em contrapartida, temos submissa da obediência permanente de Pedro indo na cidade de Jope, na sua ida de encontro ao cinturão Cornélio (Atos 9: 42-43; Atos 10:5).

Mas aonde a OBEDIÊNCIA e TEIMOSIA se encaixa na vida de pessoas como nós? A priore, ressaltemos o facto de que Deus é bondoso e nos corrige até quando a gente endurece, até mesmo antes e também - depois de a gente estacionar no lugar da DESOBEDIÊNCIA. Deus tenta aceitar um não dá gente como resposta. Ele sempre vai  lutar por mim e por você. E nesta circunstância, há algo que precisamos aprender: Ao falarmos de obediência, ELA SE APRENDE!.

Até Jesus, embora fosse o Filho primogênito de Deus teve de ser obediente: Neste sentido, la em Hebreus 5:8, encontramos como sujeitar a nossa vontade a vontade de Deus, também envolve sofrimento - não há sofrimento físico como foi o de Jesus. Em nós, isso é algo interior!. Há um processo inquestionável a considerarmos: É o de disciplina e correção. Muitas das vezes, as carências se tornam mais agudas na querência afetiva, batem forte, e nosso "eu" quer  falar mais alto, é quando sem percebermos ousamos querer nos afastar de Deus (como Jonas). Os sentimentos surgem, e deixar os planos, sejam eles A ou B ou C para vivermos os planos de Deus pode doer, e às vezes doí mesmo!. Mas, tanto eu quanto você precisamos dar atenção, entender, aprender a razão de tanta relutância de nossa parte.Visto pois,"... todo pai que ama disciplina seu filho".

É impossível que Deus se contradiga: No caso de Jonas, de início ele não obedeceu a Deus. Jonas não obedeceu por bem, mas teve de obedecer por mal. Por sua vez, Pedro também, teve de ser obediente a Deus. Pois embora fosse um judeu e não aceitasse romper com rituais tradicionais a que estava enraizado desde sua criação, em Atos 10:28-29-33, consta que Pedro reconheceu por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável”. (Atos 10:34-35). Se tem alguém que não erra é Deus!.

E, muitas vezes, nos encontramos em situações falhas: Criamos situações desagradáveis para Deus, por ainda não aceitarmos sermos devidamente obedientes, acabamos por tentar estragar os planos de Deus pra gente... Erramos, pecamos, O magoamos e, mesmo assim, ele nos ouve, nos perdoa e nos aceita. Um exemplo: na passagem escrita por Samuel 12:10: "E clamaram ao SENHOR e disseram: Pecamos, pois deixamos o SENHOR e servimos aos baalins e astarotes; agora, pois, livra-nos das mãos de nossos inimigos, e te serviremos". No caso, Samuel relembra ao povo o que aconteceu no êxodo. Chama-me a atenção o fato de que o povo coloca uma condição para seguir a Deus: “se nos livrar de nossos inimigos, então Te serviremos”. Isso é mostra clara do condicionamento feito pelo povo, o tamanho da rebeldia destes, onde apenas a graça infinita e inexplicável de Deus pode suportar tamanha afronta e continuar amando e cuidando do Seu povo. Não precisamos de motivos para obedecermos e servir a Deus.

É tempo de voltar, reatar, fazer o que há de ser feito. Aceitar o determinado por Deus: Voltemos a insustentável leveza de um Ser. Afinal, como poderia ser a vontade de Deus moer ou esmagar a alma do seu servo justo?  Em Isaías 53, lemos: “Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades”. Suas emoções foram esmagadas por causa de nós. Seus sentimentos foram feridos por causa do seu contato conosco. Esse processo de “esmagar” a alma e tornar-se uma “oferta pelo pecado” é um mistério. O “esmagamento” de uma pessoa justa tem uma influência redentora.

Bem sei que dói quando alguém vem até você, e ainda diz foi sem querer: Dói muito quando você se esforça tanto, perde até o sono se organizando e no final não agradou... , a pessoa não confia em ti e, ainda quer descobrir mistérios gloriosos que são inexplicáveis a ela própria  (Pois a Graça inexplicável de Deus, que foi derramada nela, não tem explicação). E dói muito saber que, apesar do tanto que se tentou mostrar, explicar, na tentativa de que o outro viesse a te aceitar, nunca houve o feedback vindo da pessoa. A dor é tanta que chegamos até gritar: DEUS, que deserto atravesso!. Pedimos para Ele nos levar a vida, embora no fundo no fundo saibamos que a nossa  historiada, ainda não tenha chego ao fim. Ficamos à sós com Deus, é o momento de Deus falar mais connosco. Em nosso quarto, chegamos a gritar em gemidos inexpressíveis, insistimos e dizemos a Ele que se acaso não entendermos o que na realidade quer de nós, que Ele insista em nos falar, que não desista de nós.

Mas, diante da vontade expressa do Senhor não cabe mais fugir do inevitável querer de dEle: Por fim chegamos ao grande concerto, o momento que O todo poderoso vem, nos aparece, e no silêncio O ouvimos, Ele volta a nos falar sobre todas as coisas que já outrora havia dito, e nós na nossa rebeldia, ignorante teimosia não queríamos obedecê-LO. Ele vem e renova as promessas. Faz palavras tornarem-se (des)necessárias. As vivências interiores, intimas de cada parte de nós, já há de falar por nós, e a compreensão da correção vem nos inundar como um ato de amor de Deus, tipo o que encontramos em Jó 5:17,18  e Salmos 119:66-68. 

Finalmente, o conteúdo existente no vídeo exposto, já completa as partes: Somos convidados a viver uma vida completamente dedicada ao Senhor, e não recusemos ouvir a mensagem divina. Porque, na verdade, o nosso Deus é um fogo destruidor. (Dt 4:24; 9:3.) Precisamos fazer o que Jesus nos pediu como em Mc 16:15, " Ide por todo o mundo e anunciai o evangelho a toda criatura. É este o querer do nosso Senhor!. É este o querer do nosso Deus!. 

Que a graça e a paz estejam connosco, por meio do conhecimento que temos de Deus e de Jesus, o nosso Senhor!.

FONTES: https://youtu.be/tF_Eq7-ezPE
OBS: Francisca Araujo APUD Bíblia, concomitante a pregação. AMÉM!.

sexta-feira, fevereiro 1

Entulho | Deive Leonardo

sábado, janeiro 26

(Es) colhe

Hoje em dia o 'Amor', é um assunto muito acolhido dentro das redes sociais como sendo a força global e o resultado final de todas as partes, além de ser defendido as muitas maneiras, de como melhor praticarmos este grande sentimento. Particularmente, gosto de praticar o amor na capacidade de descobrir no outro o que ele ainda não viu que tem. Isso implica dizer que aceito a outra pessoa como ela é, me resigno mediante às situações, quando verdadeiramente amo alguém.
Mas, qual é a diferença no agir ou reagir com amor, motivada por uma disposição interna ou por uma circunstância determinada?. Creio, são duas atitudes muito diferentes, já que "a resignação nos fará sofrer, pois continuamos esperando que a situação seja de outra forma, e não como é na atualidade. E em alguns momentos, nos esforçamos para mudá-la. Contudo, quando aceitamos, assumimos a realidade, sem a intenção de mudá-la, sem sofrer por ela, e isso nos permite continuar sonhando na vida, procurando melhores opções em outro caminho".
Reconheço que aceitação e resignação,  são tão importantes como a questão de sabermos orar. Por exemplo, acredito que muitos nem imaginam e não tem a curiosidade de procurar saber o que certas palavras traduz em orações escritas, e assim pedem sem saber algo que na verdade não sabe o que está pedindo. E quando sua oração é atendida não sabe o porque do resultado das coisas que lhe acontece, pois não sabe o que está pedindo.
A Bíblia destaca algumas orientações do Senhor Jesus para quando falarmos com o Criador. A primeira atitude que devemos ter em mente é a de que cada oração é única, é um diálogo que temos com o Senhor, além disso, a oração é uma ação de fé. É por isso que Jesus alerta: “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.” (Mateus 6.7)
Outra atitude importante que confiro é, "se todos os dias nos analisarmos com cuidado e atenção, verificando nossos pensamentos, nossas motivações e suas manifestações no comportamento externo, abriremos em nosso íntimo uma boa possibilidade de fazer mudanças e efetuar um aprimoramento pessoal”. 
Por fim, lembro que os homens distinguem-se entre si, mas que o amor por excelência, praticado com zelo e dedicação, também neste caso, os transformam. Simples assim...

quarta-feira, agosto 23

Como um verdadeiro líder é realmente um servo


Novamente a história de Moisés se torna um exemplo para nós. Ele foi um homem que se tornou um canal para a autoridade de Deus de uma maneira notável. Ele provou ser quase completamente obediente em seu ministério. Mas, uma vez, apenas uma vez, ele perdeu seu controle e escolheu usar sua própria autoridade para satisfazer às necessidades do povo. Em vez de, obedientemente, falar à rocha como Jeová o tinha instruído, Moisés iradamente bateu na rocha com o seu cajado. Deus o honrou em sua posição e derramou água da rocha (Números 20.11). Entretanto, este ato muito custou a Moisés. Através deste único uso da autoridade humana, natural, sua entrada na Terra de Canaã lhe foi negada. Este acontecimento demonstra claramente como Deus considera importante a distinção entre estes dois tipos de autoridade.

Todos os servos de Deus deveriam colocar isso no coração. Quando Deus os usa e eles são elevados aos olhos do povo, devem ser cuidadosos para manifestar apenas a autoridade do Espírito Santo que flui através deles. Qualquer autoridade natural ou posicional é desqualificada, mesmo que pareça estar conseguindo atingir os objetivos desejados. Mesmo que a vontade de Deus pareça bem clara para os líderes. Qualquer uso da autoridade natural, cargo, dom, ministério, à natureza carnal, não produzirá resultados espirituais. De fato, não pode. A Escritura diz: “Aquilo que é torto não se pode endireitar” (Eclesiastes 1.15). Nada que comece na esfera terrena pode produzir fruto espiritual.

Este é, então, o modo de Deus. O homem ou a mulher que deseja agradar a Deus deve se tornar um servo. Devemos nos humilhar diante do Senhor e dos nossos irmãos em Cristo, em vez de agir à maneira do mundo. Ao invés de procurar a exaltação aos olhos dos homens para podermos controlá-los e desse modo “ajudá-los” nos caminhos de Deus, devemos escolher sermos modestos. Desta forma, apenas aqueles que estão realmente querendo ouvir a voz de Deus irão ouvi-Lo falar através de nós e serão obedientes. Este foi exatamente o modo como Nosso Senhor Jesus Cristo viveu enquanto esteve na Terra. Não apenas Ele tinha o direito e a autoridade para exigir obediência, mas Ele tinha o poder para forçar as coisas a andar ao seu modo. Não obstante, em vez de usar este poder, nós lemos: “Quem, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus, antes a Si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens, e, reconhecido em figura humana, a Si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Filipenses 2.5-8). Este é o caminho. Ele é uma Pessoa Maravilhosa. Que nós possamos penetrar na completa experiência de Sua realidade.

sábado, agosto 19

A cura de uma mulher enferma

Acerca da passagem cito em Lucas 8:40-46


Pensamento: A mulher à mostra, vivia numa situação de impureza constante. De acordo com a lei, ninguém podia tocar nela, senão a pessoa se tornava impura (Lev 15:25-31). Em doze anos ninguém conseguiu curá-la. Ela devia sentir profunda vergonha e desespero. 

Ninguém queria chegar perto e ninguém podia ajudá-la. Isso talvez explica porque ela chegou sorrateiramente para ver se tocando em Jesus ela podia ser curada. Jesus parou a multidão e perguntou quem havia o tocado porque aquele toque fora diferente. Não foi uma pessoa qualquer encostando. Foi o toque do desespero e de profunda necessidade e Jesus sentiu isso. O intuito de Jesus não era de envergonhá-la, mas de ajudá-la pessoalmente. 

Isso é uma boa notícia para pessoas como aquela mãe temendo a notícia do médico de que talvez ela esteja com AIDS. Isso é boa nova para aquele rapaz lutando com desejos dos quais ele sente profunda vergonha. Isso é o Evangelho para todas as pessoas que aguardam na fila das causas perdidas da vida. Jesus veio aqui especialmente para você. Ele pára tudo só por causa de você. 

E basta você crer nele que poder sairá do trono de Deus para lhe ajudar. Confie em Jesus e não tenha medo de chegar perto dele. É por isso que ele fica tão perto de nós.

* Fonte: Francisca Araujo apud Max Lucado

segunda-feira, abril 10

O Vaso do Oleiro

O barro vem do pó da terra e o vaso é moldado do barro e Adão foi moldado do barro (Eclesiastes 12:7)

A mensagem que hoje vou expor, traz a história do vaso, sua trajetória de simples massa crua até ser um belo vaso de adorno, útil numa casa ou em outro lugar que ele possa ser usado.

Muitos podem perguntar: O que a passagem de 'Eclesiastes', tem a ver com este artigo: o vaso e o oleiro?. Leia até o final e você entenderá. Mas lembre disso: "A palavra de Deus só pode ser descoberta, porque estavam 'centrados' em 'vasos de barro'.

Na 1ª fase :
Nesta fase, o vaso é apenas uma massa, seja ela de barro, argila ou outro material, junta-se água e mexe-se até adquirir o ponto certo, depois que já está pronta, ela é colocada em moldes e ficam secando de um dia para o outro. No outro dia, se a massa estiver completamente seca, então é retirada da forma para prosseguir a etapa seguinte, muitos vasos ao serem desenformados quebram-se e voltam à ser massa.

Na 2º fase:
O vaso vai para a seção de rebarbas e com uma faca fina e afiada é retirado todo o excesso de massa que há em volta do vaso, na borda e no fundo, alguns vasos não passam desta seção, abrem rachaduras e vão para serem massa novamente.

Na 3º fase:
Os vasos são encaminhados para a seção de esponja, eles são lavados com uma esponja e um balde de água, esfrega-se as peças delicadamente para tirar qualquer excesso de massa que possa ter sobrado da secção anterior, o vaso tem que ficar completamente liso, nesse processo muitos vasos abrem furos e são encaminhados à secção de colagem para se tapar os furos e depois que secam voltam para à secção de esponja.

domingo, março 5

Um texto que merece ser reproduzido


Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça. 
(2Tm 3:16)

A Bíblia é o primeiro lugar onde devemos procurar respostas. Mais é preciso gastarmos um tempinho extra com Ela. Paulo usa vários termos enfáticos sobre a importância de buscar adquirir entendimento com a leitura. 1Tm 4.13,15 até que eu vá, aplica-te à leitura, à exortação, e ao ensino... Ocupa-te destas coisas, dedica-te inteiramente a elas, para que o teu progresso seja manifesto a todos. Ocupar-se, significa literalmente gastar tempo lendo, estudando, meditando, investigando... Quando o assunto é adquirir entendimento, não dá para fazer economia. Tempo nunca temos sobrando. O corre corre do dia nos força a não dispormos tempo para um estudo aplicado da Palavra. Ec 3.1 Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. É preciso "Dedicação" e dedicação tem a ver com interesse. Diz-se que uma pessoa é "dedicada" quando percebe-se nesta pessoa um auto grau de "interesse". Tem muita gente boa que até deseja conhecimento mais, fica só nisso, é preciso mais do que simplesmente "querer". É preciso agir. Dedicação é sacrificar coisas e vontades para realização do objetivo. Abrir mão de coisas como passeios, descanso, afazeres podem ser sinal que está havendo "interesse" em aprender. Rm 7. 18,19 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.

2. EM FONTES CONFIÁVEIS.
Sl 119. 5,6. Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos! Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

Em matéria de aprendizagem é assim mesmo, se soubermos o caminho correto não haverá dificuldades, chegaremos a um entendimento. Mas, se procurarmos em local errado, corremos o risco de sermos enganado. Por isso, a pergunta do atento leitor de Candece parece que ilustra de forma a nos fazer compreender a necessidade da ilustre figura do professor."Como posso entender se ninguém me explica?" A função do escritor bíblico, em algumas ocasiões era apenas o de registrar fatos ocorridos, estes registros podem apresentar algumas dificuldades ao entendimento. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo. 2Pe 1:21. Se tivermos um professor confiável, que tenha domínio da matéria, ótimo, meio caminho andado. Porém, como nem sempre teremos a nossa disposição a figura de um bom professor, é aconselhável adquirirmos alguns materiais necessários ao estudo da Bíblia.

· Bíblias de estudo, NTLH)

· Enciclopédias bíblicas. 

· Dicionários bíblicos.

· Dicionários da Língua Portuguesa. 

· Um caderno (ou tablet) para anotações é indispensável.

Fonte: Mensagem pregada na Missão Vale das Bençãos em Saquarema, Bacaxá. (Em 27/07/2014 - por Carlos Coelho).

quarta-feira, fevereiro 15

A excelência do amor


“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 
(1 Coríntios 13:4-7)